2 comentários:
De Miguel Mauricio a 11 de Abril de 2008 às 23:16
Quando o petróleo chegar ao fim,o que acontecerá nos próximos anos e não serão muitos,os chamados bio-combustiveis não nos salvarão. 1º porque com a rápida industrialização da China e da India a procura de combustiveis está em crescimento. 2º quando o pico petrolifero acontecer ( há cientistas que defendem que já aconteceu daí a alta cada vez maior do crude..) a procura superará a oferta e vai encarecer o petróleo a niveis brutais arruinando a economia mundial. 3º as energias alternativas convencionais são optimos complementos mas não se adequam a uma economia de massas. 4º o recurso ao nuclear poderá ser a unica alternativa viável para fazer face à procura desmesurada de energia que o nosso estilo de vida comporta. ( a não ser que queiramos retroceder para o carvão outra vez..) O mundo podemos dizê-lo está metido numa bela alhada mas não há outro caminho,ou aprendemos a nadar com as condições futuras que teremos ou afundamo-nos. Se quiserem ler mais sobre o tema "O fim do petróleo" de James Knustler ou "O sétimo selo" do José Rodrigues dos Santos tem alguma informação correcta sobre este e outros temas relacionados com o futuro energético sombrio da Terra.

miguel78mauricio@iol.pt
De Manuel Rocha a 14 de Abril de 2008 às 10:21
Julgo que seria importante complementar esta leitura da noticia com a leitura do Plano a que se refere. Nomeadamente para que se verifique que existe diferença entre a ideia de que "iremos consumir menos energia", conforme sugere a forma da noticia, e o objectivo do Plano, que considera ganhos de eficiência num cenário de crescimento do consumo. Ou seja, o que o Plano diz é que iremos consumir mais energia. Os 10 % de poupança que se refere reportam para um consumo inferior ao crescimento previsto no caso de sucesso das medidas que se propõe implementar.

Comentar texto