.textos recentes

. Com papas e bolos (2)...

. Ondas por água abaixo?

. Fotovoltaica comestivel

. Cegonhas na web

. Toyota Prius 2010

. Kepler: em busca de et's

. Moçambique: perpectivas d...

. As coisas que a gente des...

. Achado com muita energia

. Com papas e bolos...

.arquivos

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

Terça-feira, 8 de Julho de 2008

Vencedor!

Começar por aqui...

 

Concurso "Aqui há selo 2008"

07.07.2008 - 17h52 Nicolau Ferreira

Os CTT reservam-nos para 2009 um selo com a ilustração de uma molécula. Apesar do desenho parecer indecifrável, Nuno Micaêlo, o autor da criação e vencedor do concurso “Aqui Há Selo 2008”, teve razões de sobra para escolher a enzima CotA-lacase para promover à ciência portuguesa.
“Os selos são um meio privilegiado de difusão cultural devido à sua função pública e de temporalidade”, explicou o investigador ao PÚBLICO, numa entrevista feita por correio electrónico.
Quando soube que os CTT abriram um concurso para ser autor de um selo posto à venda em 2009, lançou-se no projecto. Na semana passada ficou a saber que era o vencedor.
O investigador está a fazer um pós-doutoramento em Aveiro, na Universidade onde tirou a licenciatura em Biologia. Trabalha na área da modelação molecular, onde estuda com a ajuda do computador a forma e a actuação das moléculas.
A CotA apareceu porque o grupo de investigação que veio integrar trabalha com a enzima. A CotA é produzida originalmente pela bactéria Bacillus subtilis, mas pode vir a ter várias aplicações.
“Esta enzima é capaz de degradar compostos chamados fenólicos que são altamente poluentes”, explica. A indústria de papel e do têxtil costumam produzir estes compostos.
Mas o potencial vai para além da bioremediação, ou decomposição de compostos resultantes dos processos industriais. A enzima pode ser aplicada na produção de biopolímeros, no tratamento de sumos de fruta, como bio-sensores e na produção de compostos a partir de uma fibra vegetal chamada lenhina, que podem vir a ter um valor elevado.
No selo vê-se várias bolas que representam átomos. Consoante a cor, temos átomos diferentes. O central, cor-de-laranja é um átomo de cobre e é este que permite à enzima funcionar.
O desenho da molécula foi feito digitalmente. O investigador tem tido contacto com a arte. Expôs obras no Centro Cultural de Belém e trabalha com o teatro Seiva Trupe do Porto, como consultor científico.
“Na ciência, o processo criativo está balizado pelos limites do conhecimento, pelas leis do mundo físico que conhecemos”, explica.
Para este cientista fazer arte é diferente. “Na arte a criatividade parece ser um processo mais emocional, tolerante ao erro e que não precisa de validação pelos seus pares.”
Em 2009, a CotA vai andar pelo país e pode entrar em nossa casa pela caixa do correio. Quem a receber, tem oportunidade de ver a ciência ser transformada em arte.

sinto-me:
publicado por ehgarde às 18:11
ligação do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.ligações

blogs SAPO

.subscrever feeds