.textos recentes

. Com papas e bolos (2)...

. Ondas por água abaixo?

. Fotovoltaica comestivel

. Cegonhas na web

. Toyota Prius 2010

. Kepler: em busca de et's

. Moçambique: perpectivas d...

. As coisas que a gente des...

. Achado com muita energia

. Com papas e bolos...

.arquivos

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

Sexta-feira, 11 de Julho de 2008

Pegada vencedora

Prémio Internacional

Gulbenkian distingue ONG que criou conceito de “pegada ecológica” e instituto de investigação filipino

11.07.2008 - 15h03

O Prémio Internacional Calouste Gulbenkian deste ano foi atribuído à organização não governamental Global Footprint Network, responsável pelo conceito de “pegada ecológica”, e ao instituto filipino Marine Science Network, que se tem distinguido pela promoção da defesa do ambiente marinho e dos seus recursos.
O conceito de "pegada ecológica" foi criado nos anos 90 por Mathis Wackernagel, um dos membros do GFN, fundado em 2003, e é um indicador que serve de base para a análise de impacto do consumo nos recursos naturais. "Trata-se de um indicador agregado que teve bastante sucesso porque permite com um só olhar ter uma visão imediata e acessível a não especialistas", disse Viriato Soromenho-Marques, um dos membros do júri deste prémio, presidido por Jorge Sampaio.
Esta ONG já desenvolveu este conceito em mais de 150 países, entre os quais Portugal, cujo índice colocou entre 2 e 3, acrescentou. Esse défice ecológico significaria, precisou, "que se toda a população do mundo vivesse com o nível de vida médio dos portugueses seriam precisos quase três planetas Terra".
A pegada ecológica calcula o saldo negativo que a maioria dos países tem vindo a acumular e que compromete a capacidade de sobrevivência da humanidade e a manutenção da vida no planeta.
Sobre o outro premiado, The Marine Science Institute da Universidade das Filipinas, Viriato Soromenho Marques destacou que tem vindo a desenvolver cursos de grande qualidade, mestrados e doutoramentos, que tornaram as Filipinas um dos países que estão à frente na área da Ciências do Mar.
Referiu ainda que as Filipinas são um dos poucos países que têm um inventário nacional da conservação dos corais, um feito significativo tendo em conta que se trata de um arquipélago constituído por milhares de ilhas e que tem 36 mil quilómetros de costa. Além de promover a investigação em ciências, biologia e biotecnologia marinhas, e a formação de especialistas nestas áreas, este Instituto desenvolve estudos no campo da biodiversidade e das tecnologias marinhas da protecção ambiental.
Na cerimónia de entrega dos prémios, marcada para 18 de Julho no Grande Auditoria da Fundação Calouste Gulbenkian, são esperados representantes das duas instituições galardoadas.

 

sinto-me:
publicado por ehgarde às 16:01
ligação do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.ligações

blogs SAPO

.subscrever feeds