.textos recentes

. Só eléctricos?!? Era bom!

. Augusta

.arquivos

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

Terça-feira, 8 de Abril de 2008

Só eléctricos?!? Era bom!

Frente Ribeirinha: Rua da Prata e Avenida Ribeira das Naus só para eléctricos?

Foto de Emídio Gardé

08.04.2008 - 14h22 Lusa

O Plano Estratégico para a Frente Tejo, elaborado pela Parque Expo, admite vários cenários para limitar o trânsito na zona ribeirinha, entre os quais a retirada dos automóveis da Rua da Prata e Avenida Ribeira das Naus.

Num dos cinco cenários propostos para as acessibilidades entre o Cais do Sodré e Santa Apolónia, nestas duas ruas passariam a circular apenas os eléctricos.

(Ler a notícia completa no Público ou n'O Sol)

Quem dera!

sinto-me:
publicado por ehgarde às 18:21
ligação do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 26 de Março de 2008

Augusta

Novelas de Braga #6 - Para uma história dos eléctricos de Braga
Sexta, 28 MAR | 21h30 | convidados - Sr. Bento e Sr. Araújo, antigos cobradores

 

Em Maio deste ano completam-se quarenta e cinco anos após a viagem do último eléctrico bracarense. Braga, aliás, foi última cidade do país a electrificar a rede de transportes urbanos (1914) e curiosamente a primeira a desactivá-los (1963). Ao contrário das outras cidades portuguesas que também adoptaram este simpático transporte urbano (Porto, Coimbra, Lisboa e Sintra), Braga não conservou nenhum dos seus carros eléctricos, dos seus atrelados e do restante património associado. Todos os 11 eléctricos e atrelados que circularam na cidade foram desmatelados e convertidos em sucata e, mais tarde, foi destruído o próprio edifício onde os eléctricos recolhiam e que se situava no cruzamento da Rua Cardoso Avelino com a Rua Cruz de Pedra (junto à estação de comboios) para no mesmo local se construir mais um centro comercial. Braga tem vindo a perder e a destruir praticamente todo o seu património mais recente, nomeadamente muitas das infraestruturas industriais construídas nos finais do séc. XIX ou inícios do séc. XX, correndo-se o risco de este período apenas ficar documentado por fotografias. Não é por acaso que a maioria dos bracarense de hoje não sabe que Braga já foi servida por uma rede de eléctricos entre Maximinos/Estação da CP e Gualtar/Bom-Jesus e entre o Estádio 1º de Maio e Monte D'Arcos.
Com a participação do Sr. Araújo e do Sr. Bento, que durante alguns anos foram cobradores dos Eléctricos bracarenses, as Novelas deste mês vão procurar traçar a história e estórias deste transporte desaparecido.
Na fotografia (cerca de 1960): o eléctrico (com o atrelado vermelho utilizado no período de Verão) atravessa o Largo da Senhora-a-Branca, passando à porta da futura Velha-a-Branca.

Descobrir a História e as estórias da nossa cidade e registar os testemunhos de quem nas mais diversas áreas ajuda a construir a identidade de Braga é o objectivo destas Novelas.

Nota: a não perder!

sinto-me:
publicado por ehgarde às 20:26
ligação do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.ligações

blogs SAPO

.subscrever feeds