.textos recentes

. Táxi solar

. Energia celestial

. O Sol na reforma

.arquivos

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

Segunda-feira, 3 de Novembro de 2008

Táxi solar

 Veículo está hoje em Paris

“Táxi solar” está prestes a terminar a sua volta ao mundo 

03.11.2008 - 14h23 AFP
O chamado “táxi solar”, veículo de dois lugares com painéis fotovoltaicos, está prestes a terminar uma volta ao mundo histórica, uma iniciativa destinada a demonstrar a fiabilidade desta tecnologia limpa. Hoje esteve em Paris e foi recebido no Ministério do Desenvolvimento Sustentável.

O “táxi solar” é a primeira viatura a percorrer o mundo utilizando apenas energia solar.

Louis Palmer, quem concebeu o projecto, partiu da Suíça a 3 de Julho do ano passado e já percorreu mais de 47 mil quilómetros, atravessando a Europa, Ásia, Austrália, Nova Zelândia e América do Norte.

“Não paguei um cêntimo por gasolina”, salientou Palmer. Além disso, não emitiu um grama de dióxido de carbono. “Desde a partida só perdemos dez dias para fazer uma reparação”, explicou.

O veículo foi construído por técnicos de quatro escolas de engenharia na Suíça, é alimentado a cem por cento por energia solar produzida através dos seus painéis solares - instalados num atrelado de cinco metros de comprimento - ou por electricidade para recarregar as baterias. Neste segundo caso, o equivalente da energia usada é produzido por painéis solares instalados no telhado da Swisscom, perto de Berna, para tornar a operação neutra em emissões. O veículo tem uma autonomia de 400 quilómetros, a uma velocidade de 90 quilómetros/hora.

“Não estou dependente da meteorologia. Pode chover vários dias a fio”, garantiu Palmer.

O veículo já foi testado pelo príncipe Hassan da Jordânia, pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pelo “Mayer” de Nova Iorque, Michael Bloomberg e pelo príncipe Alberto do Mónaco. Hoje, o veículo foi parar às mãos do ministro francês do Desenvolvimento Sustentável, Jean-Louis Borloo, que deu umas voltas ao edifício do seu ministério.

Uma especificidade do veículo é o seu volante que se desloca na horizontal, o que permite que também o passageiro possa conduzir.

Palmer visitou hoje vários construtores automóveis, com a Peugeot, Renault e Dassault. “Se uma grande marca quiser a ideia, estaremos prontos”, garantiu.

Depois de Paris, o “táxi solar” vai para Londres, Berlin e Poznan, na Polónia, onde vai “assistir” à conferência da ONU sobre clima, de 1 a 12 de Dezembro.
sinto-me:
publicado por ehgarde às 14:50
ligação do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 8 de Agosto de 2008

Energia celestial

Energia

Santuário do Gerês utiliza painéis solares para aquecer peregrinos

08.08.2008 - 16h36 Lusa

http://bp2.blogger.com/_zqzuArr7zEs/RvcCR26OVII/AAAAAAAADHg/qjEcLFInOYo/s1600-h/Geres+045.jpgNo Santuário de S. Bento da Porta Aberta, na serra do Gerês, a enfermaria dos peregrinos e a casa pastoral já são totalmente alimentados com energia solar", disse hoje fonte da Irmandade que gere o espaço religioso.

A instalação de doze painéis solares térmicos custou à Irmandade do Santuário de S. Bento da Porta Aberta 24 mil euros, disse Fernando Monteiro, Juíz da Irmandade de S. Bento da Porta Aberta.

"É um investimento que diminuirá em 50 por cento a despesa anual do consumo energético", referiu Abílio Vilaça, tesoureiro da irmandade.

Para além da energia necessária para o funcionamento da enfermaria e da casa pastoral, os painéis vão ainda garantir os processos de climatização e águas sanitárias.

"Pela enfermaria, passaram em 2007, mais de 4500 peregrinos", daí a escolha da estrutura para receber os primeiros painéis solares. "Este sistema permite-nos prestar um melhor serviço aos peregrinos que precisam de banhos e água quente a todo o momento pois estão sujeitos a quedas e entorses durante a peregrinação até ao santuário", sublinhou Fernando Monteiro.

A peregrinação anual de S. Bento da Porta Aberta, em Terras do Bouro no Gerês, inicia-se no dia 10 de Agosto.

sinto-me:
publicado por ehgarde às 18:59
ligação do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 26 de Junho de 2008

O Sol na reforma

Cientista russo defende

Sol deixou de aquecer a Terra

A intensidade da radiação solar atingirá o seu mínimo em 2041 causando um profundo arrefecimento na Terra, defende Khabibullo Abdussamatov, do Observatório Astronómico Principal da Academia das Ciências da Rússia.

11:51 | Quinta-feira, 26 de Jun de 2008 - Lusa
Abdussamatov sustenta que o nosso planeta atingiu o ponto mais alto do seu aquecimento entre 1998 e 2005 (In Expresso)A Terra está a deixar de ser aquecida pelo Sol e a intensidade da radiação atingirá o seu mínimo em 2041, considera Khabibullo Abdussamatov, chefe do Laboratório de Estudos Espaciais do Observatório Astronómico Principal da Academia das Ciências da Rússia.
Numa entrevista à agência RIA Novosti, o cientista russo defende que isso será a causa de um profundo arrefecimento na Terra.
Abdussamatov sustenta que o nosso planeta atingiu o ponto mais alto do seu aquecimento entre 1998 e 2005, provocado principalmente por um longo aumento e um nível extremamente alto da intensidade da radiação solar durante praticamente todo o séc. XX.
Presentemente, a intensidade do calor solar está a diminuir e atingirá o seu mínimo em 2041. Porém, devido à inércia térmica do Oceano Mundial, o cientista calcula que o ponto mais alto do arrefecimento global ocorrerá até 2060.

Os cientistas do Observatório de Pulkovo, em São Petersburgo, pretendem realizar uma experiência com vista a medirem as variações temporárias da forma e do diâmetro do Sol durante os próximos 11 anos.

Planeiam, com a ajuda dos resultados conseguidos, prever mais precisamente a profundidade e a data da chegada do resfriamento e desmentir completamente a teoria do aquecimento global antropogéneo.

Abdussamatov considera que o "efeito de estufa" antropogéneo não travará o resfriamento global, sublinhando que o nosso planeta já sofreu várias vezes arrefecimentos e resfriamentos cíclicos, ainda antes da influência industrial sobre a natureza.

Segundo ele, o futuro resfriamento provocará o aumento das áreas geladas e a redução da concentração de gases na atmosfera.

Todos esses factores, continua ele, serão mais um contributo para o auto-arrefecimento do planeta.

sinto-me:
publicado por ehgarde às 15:13
ligação do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.ligações

blogs SAPO

.subscrever feeds