.textos recentes

. Já não era sem tempo!

. Ilfãt k tekla!

.arquivos

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

Quarta-feira, 18 de Fevereiro de 2009

Já não era sem tempo!

Congresso Mundial de Comunicações Móveis

17.02.2009 - 12h35 PÚBLICO
Os carregadores das baterias de telemóveis são um problema ambiental (Foto 'Público')
Quantos tipos de carregadores temos em casa desde que os telemóveis foram lançados? A resposta a esta questão pode tornar-se unânime: um. O carregador universal está para chegar e é verde, ou seja, vem acompanhado de uma redução do consumo eléctrico de 50 %.
O acordo foi anunciado no V Congresso Mundial de Comunicações Móveis, que decorre em Barcelona do dia 16 ao dia 19 deste mês, e envolve as principais fabricantes e operadoras de telemóveis. 
Empresas como a Nokia, Sony Ericsson, Samsung, LG e Motorola, bem como as maiores operadoras mundiais, que incluem a Vodafone, comprometeram-se a conceber um carregador que sirva para todos os modelos que saiam no mercado.
“O objectivo é que a maioria dos telefones móveis vendidos em 2012 sejam compatíveis com o carregador universal”, explicou à edição online do diário espanhol El Mundo Michael O’Hara, director de marketing da associação mundial de comunicações móveis GSM.
O modelo de carregador escolhido será o Micro-USB (já presente em alguns telemóveis) e deverá implicar uma redução de consumo energético de 50 por cento.
Já há bastante tempo que os defensores do meio ambiente contestam a indústria dos telemóveis como sendo uma das áreas menos verdes da tecnologia. O próprio Comissário Europeu para a Indústria, Günter Verheugen, disse na última sexta-feira, numa entrevista à rádio alemã “Deutsche Welle”, que “a sua paciência se tinha esgotado” a respeito da normalização dos carregadores, e esperava que a iniciativa viesse dos fabricantes.

sinto-me:
publicado por ehgarde às 09:23
ligação do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 13 de Outubro de 2008

Ilfãt k tekla!

Elefante envia SMS avisar que está perto

Kalami envia um SMS sempre que está perto.

Kimani é um elefante conhecido por estragar as colheitas de vários agricultores quenianos. Agora, de telemóvel no pescoço, envia uma SMS aos guardas da reserva sempre que se aproxima das populações.

As deambulações de Kimani são já conhecidas em Ol Pejetya, no Quénia. O enorme elefante-touro tem um longo historial de colheitas destruídas à passagem pelas zonas cultivadas nas imediações da reserva de Ol Pejeta.

Agora, sempre que se aproxima de terreno proibido, envia uma SMS para o telemóvel de Richard Lesowapir. O guarda da reserva de Ol Pejeta não tarda em chegar à zona onde está o elefante. Armado e acompanhado por um motorista, o vigilante tenta assustar Kimani, forçando a regressar a paragens menos problemáticas... para os aldeões.

O telemóvel pendurado no enorme pescoço do elefante é uma medida de protecção do próprio animal. Conta a CNN que a corrida para salva Kimani começou há dois anos. O Serviço de Protecção da Vida Selvagem do Quénia já tinha abatido, a contra-gosto, cinco elefantes que habitualmente se afastavam da reserva para caminhadas, destrutivas, nas zonas de cultivo.

Do sexteto de aventureiros, ficou Kimani. O grupo "Salvem os Elefantes" colocou o cartão SIM no colar, criando uma "cerca virtual" fazendo uso do GPS, que determina os limites da reserva natural.

 

Sempre que Kimani se aproxima da "cerca virtual", o telemóvel envia uma SMS para o guarda da reserva. Desde que o projecto começou, o elefante já foi interceptado 15 vezes em divagações perigosas.

O grupo "salvem o Elefante" pretendia, ao colocar o SIM, ainda, perceber se os elefantes eram capazes de alterar os hábitos. A resposta parece positiva: nos últimos quatro meses, Kimani parece ter abandonado os hábitos de caminhante noctívago e tem-se mantido afastado das zonas de cultivo.

Um grande alívio para os agricultores, que dependem das colheitas para sobreviver. Sabendo-se, ainda, que a passagem dos elefantes é suficiente para destruir seis meses de trabalho em poucos minutos.

O Quénia é o primeiro país a experimentar as mensagens de texto de elefantes como forma de proteger tanto a população humana como os animais selvagens, com cada vez menos espaço para deambular. Os elefantes são uma espécie "em ameaça ligeira" na Lista Vermelha, um índice dos animais em vias de extinção elaborado pela União da Conservação da Natureza.

sinto-me:
publicado por ehgarde às 13:29
ligação do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.ligações

blogs SAPO

.subscrever feeds